Cargos de Liderança: Diretores, Gerentes e Supervisores

Objetivos:

Capacitar lideranças para administrar as diferenças individuais de relacionamento interpessoal, inerentes às equipes de trabalho, com maior habilidade e eficácia de resultados.
Desenvolver visão e condição de escuta ampliadas, mais abstraídas e estratégicas, a partir de um autoconhecimento de suas dificuldades particulares e de uma suspensão gradativa das mesmas.

Justificativa:

Liderar requer, primeiramente, liderança pessoal, autoconhecimento de habilidade e de limitações. Análise das neuroses que impedem transformações necessárias, para só então poder dirigir seus subordinados de forma adequada a cada situação local e a cada meio demandante.

Um líder verdadeiro sabe influenciar e ser influenciado. Está disposto a acolher as diferenças pessoais de sua equipe; sente-se apto a quebrar paradigmas culturais, sempre que necessário. Não é possível fugir das contradições inerentes da vida, portanto, a mente de um líder deve ser ampla e disponível para absorver tudo que há, de forma abstraída e abstraente. A mente de um líder deve ter espaço para ambiguidades, para admitir sentimentos conflitantes e idéias contraditórias.

Assim é a vida real. A liderança não é inata, e sim aprendida. Então, aqueles que não foram induzidos a serem líderes em sua história pessoal, podem e devem ser 'reformatados' para uma liderança positiva, a partir da suspensão de suas limitações e vinculações, recalcadoras desta capacidade, deste potencial que existe em todos.

Principais temas abordados:

Liderança: Virtude ou sintoma?

- Será que lideramos ou a história nos condena a sermos responsáveis pelo que outros deveriam realizar?

- O líder, comandante de seu próprio desejo, diferente de chefia.

- Sociedade, religião, cultura, família - recalques paralisantes.

- O lugar de chefe que os pais ocuparam. É possível diferenciar dos chefes atuais? Consegue-se transgredir ou se transportam os mesmos medos e dificuldades de comunicação para a atualidade?

-Padrões ou Patrões de comportamento?

Chefia versus Liderança:

- O 'Sonho' da Qualidade Total e seus limites frustrantes.

- A ineficácia dos treinamentos. Destruindo as forças que fazem esquecer o aprendido.

- Líderes são aprendizes.

- Administrando diferenças.

- As vinculações que impedem o desenvolvimento pessoal.

- Disponibilizando o trabalho em equipes.

Forma de Trabalho:

O ser humano tem tendência à repetição, mesmo que doentia, de comportamentos. Ele teme o novo e expulsa quase que naturalmente tudo que lhe põe em perigo, mesmo que este perigo seja apenas o de reconhecer suas inabilidades para lidar com colegas de trabalho, quando esta é uma dificuldade de todos. Daí a dificuldade de aceitar um trabalho terapêutico com o objetivo de apontar estas falhas.

Sendo assim, a melhor forma de conseguir atingir o objetivo desta ação é introduzir este pensamento, que se pretende renovador e terapêutico, em formato de grupos de estudos, com a justificativa de uma reciclagem de ideias teóricas, mas que, na verdade, vão limpando os recalques e entraves existentes nas equipes.